GRANADOS – Contadores e Consultores https://www.granados.com.br Contabilidade Tue, 31 Aug 2021 17:04:26 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.8.1 Pix: benefícios da ferramenta para profissionais contábeis https://www.granados.com.br/pix-beneficios-da-ferramenta-para-profissionais-contabeis/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=pix-beneficios-da-ferramenta-para-profissionais-contabeis https://www.granados.com.br/pix-beneficios-da-ferramenta-para-profissionais-contabeis/#respond Tue, 31 Aug 2021 17:04:25 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208768 Uma forma de pagamento gratuita, imediata e sem horário limite, o Pix, que ainda não completou nem um ano de seu lançamento, veio para solucionar os problemas de muitos escritórios e empresas que antes precisavam agendar DOCs, TEDs, emitir boletos e até se deslocar para descontar cheques.

A modernização apresentada pela ferramenta atraiu milhões de brasileiros rapidamente, que pela segurança e agilidade, optam por locais e empresas que trabalham com o Pix. Confira outros pontos positivos para que escritórios contábeis e outros tipos de empresas adotem a forma de pagamento. 

Economia

O profissional contábil e setores financeiros conseguem reduzir custos significantes com a ferramenta, já que para MEI e pessoas físicas não há custo pela transação e para pessoas jurídicas a taxa costuma ser muito menor que o valor cobrado pelo TED ou DOC.

Normalmente, para PJ é cobrado uma porcentagem do valor transferido, variável entre as instituições financeiras, próximos ao 1,40%, com valor mínimo estipulado de R$1,65 e máximo de R$9, como é o caso do Bradesco. Nubank e outras fintechs costumam isentar as empresas dessas taxas.

Com o Pix, o pagamento em débito pode ser reduzido, diminuindo os custos com máquinas de cartão e as taxas impostas por cada transação realizada. 

Redução de tempo

Sem contar o tempo gasto com deslocamento aos bancos, que é evitado com o Pix, a agilidade da transação em si e a desburocratização facilitam ainda mais o processo, fazendo com que clientes e empresas ganhem tempo no envio e recebimento de valores.

Confirmação de pagamento

Com o DOC, por exemplo, o setor financeiro recebia o comprovante de pagamento e aguardava ansiosamente o valor constar no dia seguinte, esperando que não fosse devolvido ou houvesse algum erro na transação.

O mesmo acontecia quando um cheque era depositado e poderia demorar até cinco dias úteis para ser liberado nas contas.

Outra vantagem do Pix foi a redução da insegurança no recebimento de pagamentos. Feito de forma instantânea, o valor cai quase no mesmo segundo para quem recebeu, podendo confirmar ao vivo se deu certo e ainda pode gerar o comprovante da quitação.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/pix-beneficios-da-ferramenta-para-profissionais-contabeis/feed/ 0
Governo sanciona MP que facilita a abertura de empresas https://www.granados.com.br/governo-sanciona-mp-que-facilita-a-abertura-de-empresas/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=governo-sanciona-mp-que-facilita-a-abertura-de-empresas https://www.granados.com.br/governo-sanciona-mp-que-facilita-a-abertura-de-empresas/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:49:26 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208765 O Diário Oficial da União publicou nesta sexta-feira (27) a Lei nº 14.195/2021 que tem como objetivo facilitar a abertura de empresas e melhorar o ambiente de negócios no Brasil. 

O texto, proveniente da MP 1.040/2021, teve sua tramitação concluída no Congresso Nacional no início deste mês e agora passa a valer em caráter permanente. 

Licenças e alvarás

A nova lei prevê a emissão automática de licenças e alvarás de funcionamento para atividades classificadas como de risco médio. Ou seja, retira a necessidade de avaliação humana.

Quanto à classificação, quando não houver legislação estadual, distrital ou municipal específica, valerá a federal disponível na plataforma da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). 

Desburocratização

A lei também determina a unificação de inscrições fiscais federal, estadual e municipal no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) , eliminação de análises prévias feitas apenas no Brasil dos endereços das empresas e automatização da checagem de nome empresarial em segundos.

O texto amplia as atribuições do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (Drei) para examinar pedidos de autorização para nacionalização, articulação de órgãos e integração de procedimentos no registro de empresas. O departamento poderá ainda propor programas de cooperação e planos de ação, coordenar ações, desenvolver sistemas e implementar medidas de desburocratização.

Lei das SAs

A lei também aumenta a proteção de investidores minoritários, por meio da alteração da Lei das Sociedades Anônimas (SAs). 

O dispositivo amplia o poder de decisão dos acionistas, inclusive minoritários, mediante a extensão do prazo de antecedência para o envio de informações para uso nas assembleias, o aprimoramento dos dispositivos relacionados à comunicação, e a vedação ao acúmulo de funções entre o principal dirigente da empresa e o presidente do Conselho de Administração. 

Também foi criado o chamado voto plural, um tipo de ação especial que dá direito aos sócios-fundadores de controlar a empresa mesmo que eles não possuam participação societária majoritária na companhia.

De acordo com o governo, isso evita que empresas abram o capital no exterior para manter o controle acionário por meio desse instrumento, até então vedado no Brasil, fomentando o acesso ao mercado de capitais.

Crédito

Outro ponto de destaque é o aumento da agilidade na cobrança e recuperação de crédito mediante a autorização do Poder Executivo para instituir o Sistema Integrado de Recuperação de Ativos (SIRA), sistema capaz de reunir dados de pessoas físicas e jurídicas com o objetivo de reduzir o custo de transação da concessão de crédito através do aumento da efetividade das ações judiciais que envolvam a recuperação de créditos.

A lei também prevê a criação do cadastro fiscal positivo, instrumento que premia o bom contribuinte, atribuindo tratamento adequado conforme o histórico de conformidade do beneficiado.

Segurança jurídica

A lei também pretende aumentar a segurança jurídica por meio da consagração legal da prescrição intercorrente e da citação eletrônica de empresas públicas e privadas; e a desjudicialização das cobranças dos Conselhos Profissionais, os quais continuarão podendo tomar medidas administrativas de cobrança, tais como a notificação extrajudicial e a inclusão em cadastros de inadimplentes, contribuindo para diminuir a sobrecarga judiciária brasileira.

“A meta do presidente da República é colocar o Brasil entre os 50 melhores países do mundo para se fazer negócios”, afirmou o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos, em postagem nas redes sociais.

Confira o texto na íntegra.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/governo-sanciona-mp-que-facilita-a-abertura-de-empresas/feed/ 0
Abertura de pequenos negócios cresce 35% no primeiro semestre de 2021 https://www.granados.com.br/abertura-de-pequenos-negocios-cresce-35-no-primeiro-semestre-de-2021/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=abertura-de-pequenos-negocios-cresce-35-no-primeiro-semestre-de-2021 https://www.granados.com.br/abertura-de-pequenos-negocios-cresce-35-no-primeiro-semestre-de-2021/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:46:14 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208762 Mais de 2 milhões de pequenos negócios foram abertos nos seis primeiros meses deste ano, 35% a mais do que o registrado no mesmo período de 2020 e quase o dobro de 2015. 

O levantamento, realizado pelo Sebrae com base em dados da Receita Federal, mostra que entre o primeiro semestre de 2021 e o mesmo período do ano passado, houve crescimento tanto no número de microempreendedores individuais (MEI) quanto no número de micro e pequenas empresas.

Apesar das microempresas não serem a maioria, o número passou de 267,1 mil para 390,4 mil, um incremento de 46%.

Já entre os microempreendedores individuais, que correspondem a 68% dos 18,4 milhões de pequenos negócios brasileiros, o aumento foi de 33%, passando de 1,5 milhão para 2,1 milhões de negócios formalizados no período referido. 

Entre as empresas de pequeno porte houve um aumento de cerca de 26%. No primeiro semestre de 2020 foram abertas 67,2 mil, e no primeiro semestre desse ano, 84,6 mil, resultado menor apenas que o verificado no mesmo período de 2016, quando foram formalizadas 88,8 milhões de empresas desse porte.

Para o presidente do Sebrae, Carlos Melles, o crescimento do número de empresas nesse primeiro semestre confirma que o empreendedorismo tem sido visto como uma alternativa de renda, tanto para brasileiros que perderam os empregos quanto para quem, apesar das situações adversas, resolveu tirar do papel o sonho de empreender.

“A saída para a retomada da economia e da geração de empregos passa, necessariamente, pelas micro e pequenas empresas e pelos microempreendedores individuais”, afirma.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/abertura-de-pequenos-negocios-cresce-35-no-primeiro-semestre-de-2021/feed/ 0
Tesouro Direto: número de investidores ativos cresce em julho https://www.granados.com.br/tesouro-direto-numero-de-investidores-ativos-cresce-em-julho/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=tesouro-direto-numero-de-investidores-ativos-cresce-em-julho https://www.granados.com.br/tesouro-direto-numero-de-investidores-ativos-cresce-em-julho/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:42:48 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208759 O total de investidores ativos no Tesouro Direto, aqueles que atualmente estão com saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.597.402 pessoas em julho, um aumento de 38.755 investidores. 

Já o número de investidores cadastrados no programa aumentou em 454.524, crescimento de 53,58% em relação a julho de 2020, atingindo a marca de 11.949.797 pessoas.

No mês de julho de 2021, foram realizadas 460.070 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto, no valor total de R$ 2,46 bilhões. No período, os resgates foram de R$ 1,53 bilhão, resultando em emissão líquida de R$ 934,1 milhões.

As aplicações de até R$ 1 mil representaram 65,95% das operações de investimento no mês. O valor médio por operação foi de R$ 5.347,38.

Investimentos

O título mais demandado pelos investidores foi o indexado à taxa Selic (Tesouro Selic) que totalizou, em vendas, R$ 1,10 bilhão e correspondeu a 44,81% do total. Os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram R$ 1,01 bilhão e corresponderam a 41,17% das vendas, enquanto os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com juros semestrais) totalizaram R$ 344,80 milhões em vendas, ou 14,02% do total.

Nas recompras (resgates antecipados), predominaram os títulos indexados à taxa Selic, que somaram R$ 668,22 milhões (47,53%). Os títulos remunerados por índices de preços (Tesouro IPCA+, Tesouro IPCA+ com juros semestrais e Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 458,10 milhões (32,58%), os prefixados, R$ 279,62 milhões (19,89%).

Quanto ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 5 e 10 anos, que alcançaram 50,11% do total. As aplicações em títulos com vencimento acima de 10 anos representaram 14,06%, enquanto os títulos com vencimento de 1 a 5 anos corresponderam 35,84% do total.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/tesouro-direto-numero-de-investidores-ativos-cresce-em-julho/feed/ 0
Entenda se MEI e outros empreendedores precisarão devolver o Auxílio Emergencial https://www.granados.com.br/entenda-se-mei-e-outros-empreendedores-precisarao-devolver-o-auxilio-emergencial/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=entenda-se-mei-e-outros-empreendedores-precisarao-devolver-o-auxilio-emergencial https://www.granados.com.br/entenda-se-mei-e-outros-empreendedores-precisarao-devolver-o-auxilio-emergencial/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:40:41 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208756 Os Microempreendedores Individuais (MEI) que receberam o auxílio emergencial precisam ficar atentos na declaração do Imposto de Renda, porque caso ultrapassem o valor do teto de R$22,8 mil, deverão restituir o valor recebido.

Normalmente, o IRPF deve ser enviado de forma obrigatória somente por aqueles que tiverem um rendimento anual maior que 28 mil reais, mas o limite do auxílio emergencial é diferente, sendo reduzido para R$22,8 mil. Contribuintes que ficarem acima do teto estipulado pelo auxílio deverão devolver o benefício para o governo.

Caso não haja a devolução, a dívida deve gerar uma multa de R$ 165,74 e chegar a 20% do valor referente ao imposto.

Empresários

O MEI tem estabelecido até R$81 mil como o faturamento anual máximo da categoria, mas ultrapassando os R$22,8 mil, seriam considerados como indevidos para recebimento do auxílio emergencial.

Outros regimes empresariais devem tomar cuidado para estarem dentro do limite do seu faturamento anual autorizado pela categoria e se cumprem o limite do auxílio ou não.

Também devem explicações ao governo pessoas que receberam algum outro tipo de benefício concomitante ao auxílio emergencial, como aposentadoria, solicitantes do seguro-desemprego, brasileiros com requisitos inconsistentes ao do programa ou que estavam trabalhando na data da solicitação.

Para realizar a devolução do benefício, o cidadão deve esperar o recebimento do informe do governo relativo à geração do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) e quitar as dívidas no portal do Gov.Br.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/entenda-se-mei-e-outros-empreendedores-precisarao-devolver-o-auxilio-emergencial/feed/ 0
Fim da desoneração da folha: entenda os impactos para as empresas https://www.granados.com.br/fim-da-desoneracao-da-folha-entenda-os-impactos-para-as-empresas/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=fim-da-desoneracao-da-folha-entenda-os-impactos-para-as-empresas https://www.granados.com.br/fim-da-desoneracao-da-folha-entenda-os-impactos-para-as-empresas/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:28:50 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208753 A desoneração da folha de pagamento tem vigência até dezembro de 2021. Caso a medida não seja prorrogada, cerca de 60 mil empresas que geram 3 milhões de empregos serão afetadas.

A medida permite que as empresas substituam a contribuição previdenciária, de 20% sobre os salários dos empregados, por uma alíquota sobre a receita bruta, que varia de 1% a 4,5%.  

Normalmente, se a folha de pagamento de uma empresa custa R$ 20 mil, ela pagaria de contribuição previdenciária 20% deste valor, no caso R$ 4 mil. Com a desoneração, ela passa a recolher o percentual de 1 até 4,5% sobre o seu faturamento, o que geralmente representa um valor menor de recolhimento.

O objetivo da desoneração da folha é aliviar a carga tributária de alguns setores empresariais. Hoje, 17 setores podem fazer a adesão:

  • Calçados;
  • Call Center;
  • Comunicação;
  • Confecção/vestuário;
  • Construção civil;
  • Empresas de construção e obras de infraestrutura;
  • Couro;
  • Fabricação de veículos e carroçarias;
  • Máquinas e equipamentos;
  • Proteína animal;
  • Têxtil;
  • TI (Tecnologia da informação;
  • TIC (Tecnologia de comunicação);
  • Projeto de circuitos integrados;
  • Transporte metroferroviário de passageiros;
  • Transporte rodoviário coletivo;
  • Transporte rodoviário de cargas.

Impactos para as empresas

A desoneração da folha está prevista para acabar neste ano. Contudo, o deputado Efraim Filho, apresentou um projeto que estende a medida até o fim de 2026. 

“O setor produtivo deste País não aguenta mais o peso da arrecadação sobre os seus ombros. É preciso saber reduzir esse peso para gerar desenvolvimento, criar oportunidades, crescer junto com a economia”, disse.

Se a contribuição sobre faturamento não for prorrogada, esses setores, que são intensivos em mão-de-obra, voltariam a pagar alíquotas sobre a folha de salários, o que, de acordo com eles, aumentaria os custos.

A previsão é de que o projeto seja aprovado na Comissão de Finanças e Tributação no próximo dia 15.

Representantes dos setores ressaltaram que a medida contribui para aumentar a produção do país, atrair investimentos e, principalmente, manter os empregos.

“A manutenção desses empregos se traduz também na continuidade do pagamento de salários, da capacidade de consumo dos trabalhadores e até da realização de investimentos pelas empresas. Tudo isso traz retornos para o caixa do estado”, afirmou o presidente da Abimaq, José Velloso.

Contudo, a proposta enfrenta resistência da equipe econômica. O relator do projeto deve realizar uma reunião, na semana que vem, com o governo e representantes de todos os setores para discutir a prorrogação da medida.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/fim-da-desoneracao-da-folha-entenda-os-impactos-para-as-empresas/feed/ 0
Energia: redução de consumo pode gerar descontos na conta de luz https://www.granados.com.br/energia-reducao-de-consumo-pode-gerar-descontos-na-conta-de-luz/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=energia-reducao-de-consumo-pode-gerar-descontos-na-conta-de-luz https://www.granados.com.br/energia-reducao-de-consumo-pode-gerar-descontos-na-conta-de-luz/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:24:48 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208750 O governo federal estuda lançar um programa para incentivar a economia de energia. A ideia é oferecer descontos para o mercado regulado (clientes das distribuidoras), como residências e pequeno comércio, que diminuirem o consumo entre 10% e 20% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Até sexta-feira (27), o governo avaliava conceder um bônus de R$ 1 para cada kilowatt-hora (kWh) do volume de energia acima da meta de 10%.

Considerando que a bandeira vermelha patamar 2 subiu para R$ 9,49 para cada 100 kWh em julho e agora está indo para algo em torno de R$ 14, o  bônus ficaria em R$ 100 por cada 100 kWh de consumo, embora restrito apenas à fatia da conta de luz que supera a redução de 10%.

No entanto, durante o fim de semana,  autoridades do setor elétrico e integrantes da equipe econômica passaram a avaliar que esse percentual seria oneroso demais ao sistema. Por isso, o valor final deverá ser menor.

Consumo de energia

Para calcular o percentual de economia, a comparação começará com base em uma média mensal do consumo no trimestre setembro-outubro-novembro de 2020. 

Assim, exclui-se o período de restrições mais intensas à mobilidade por causa da pandemia, com o fechamento do comércio – o que poderia provocar distorções na comparação anual. 

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, quer que o sistema de bônus dure até abril de 2022.

Recursos

Os recursos para bancar os bônus serão retirados do Encargo de Serviços do Sistema (ESS), que é cobrado nas próprias tarifas de energia. 

O ESS banca o acionamento de usinas térmicas. Algumas das unidades ligadas ultimamente, em função da escassez hídrica, chegam a ter megawatt-hora acima de R$ 1.500. Conforme explica uma autoridade do setor, em vez de bancar o acionamento das térmicas por esse preço, o encargo será destinado a remunerar os pequenos consumidores com um valor menor.

Aumento de bandeira

Na tentativa de desestimular o consumo elevado, a bandeira vermelha patamar 2 deverá ter novo aumento perto de 50% nesta semana. O Ministério de Minas e Energia queria uma alta dos atuais R$ 9,49 por cada R$ 100 kWh para R$ 24 até dezembro.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, insistiu para que o aumento fosse mais brando. A taxa extra na conta de luz vai para R$ 14 e terá vigência até maio de 2022. O impacto na tarifa final deve ficar em cerca de 7,5%.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/energia-reducao-de-consumo-pode-gerar-descontos-na-conta-de-luz/feed/ 0
MP 1.045: Senado avalia retirar pontos do texto da minirreforma trabalhista https://www.granados.com.br/mp-1-045-senado-avalia-retirar-pontos-do-texto-da-minirreforma-trabalhista/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=mp-1-045-senado-avalia-retirar-pontos-do-texto-da-minirreforma-trabalhista https://www.granados.com.br/mp-1-045-senado-avalia-retirar-pontos-do-texto-da-minirreforma-trabalhista/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:21:22 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208747 Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil O prazo final para votação da MP 1.045/2021 encerra no dia 7 de setembro, feriado. Caso contrário, a medida perderá a validade.

Com o prazo apertado, o Senado não deve fazer grandes alterações no texto proveniente da Câmara dos Deputados.

De acordo com o senador Confúcio Moura, relator da matéria, não há prazo para mudanças.

“A dificuldade é que praticamente não há prazo para mudanças, pois a MP perde efeitos no dia 7 de setembro, que é feriado”.

Se a matéria sofrer alterações pelo Senado, precisará retornar para a Câmara para passar por uma nova análise. “Aí é praticamente matar a MP”, alega o senador.

Análise MP 1.045

Contudo, o senador Paulo Paim lembra que a proposta encaminhada pelos deputados contém 94 artigos. 

“Além dos 25 artigos iniciais, outros 69 foram introduzidos, sendo que um deles promove alterações ou inclusão de 72 dispositivos da CLT, ou outros dois artigos promovem 15 alterações às Leis nº 10.259, sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal, e nº 13.105, de 2015 (Código de Processo Civil)”, argumenta. 

Por isso, apresentará uma questão de ordem para impugnar dez dispositivos, que seriam sumariamente retirados do texto, sem a necessidade da proposta voltar para a Câmara.

Devem ser retirados os artigos 24 a 42, que tratam sobre o Programa Primeira Oportunidade e Reinserção no Emprego (Priore); os artigos 43 a 76, sobre o Regime Especial de Trabalho Incentivado, Qualificação e Inclusão Produtiva (Requip), o Termo de Compromisso de Inclusão Produtiva (CIP), o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) e a Bolsa de Incentivo à Qualificação (BIQ); os artigos 77 a 83, que instituem o Programa Nacional de Prestação de Serviço Social Voluntário; o art. 86, que trata da redução do direito a horas extras em profissões com jornadas diferenciadas, entre outros.

A decisão caberá ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que deu indicações de que a MP pode ser aprovada, mas possivelmente algo dela será retirado. “Busquei alinhamento com a Câmara para que possamos ter um resultado de apreciação, senão em sua inteireza, em parte substancial dela [a MP] e em sua origem, que é um programa de geração de trabalho muito importante”.

Minirreforma trabalhista

Vale lembrar que a proposta inicial da MP era prorrogar o Programa de Manutenção e Renda, que permite a redução de jornada e salários e a suspensão dos contratos de trabalho.

Contudo, o texto substitutivo, do deputado Christino Aureo, inclui outros temas, como programas de primeiro emprego e de qualificação profissional, mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e definição de quem pode contar com gratuidade no acesso à Justiça. 

Devido às inúmeras mudanças na legislação, o projeto ficou conhecido como minirreforma trabalhista.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/mp-1-045-senado-avalia-retirar-pontos-do-texto-da-minirreforma-trabalhista/feed/ 0
IGP-M acumula inflação de 31,12% em 12 meses https://www.granados.com.br/igp-m-acumula-inflacao-de-3112-em-12-meses/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=igp-m-acumula-inflacao-de-3112-em-12-meses https://www.granados.com.br/igp-m-acumula-inflacao-de-3112-em-12-meses/#respond Tue, 31 Aug 2021 16:16:36 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208744 O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 0,66% em agosto deste ano, taxa inferior ao 0,78% de julho deste ano e ao 2,74% de agosto de 2020. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o indicador acumula taxas de inflação de 16,75% no ano e de 31,12% em 12 meses.

A queda da taxa de julho para agosto foi puxada pelos três subíndices que compõem o IGP-M. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede o atacado, teve variação de 0,66% em agosto, ante 0,71% em julho.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede o varejo, teve inflação de 0,75% em agosto, abaixo do 0,83% em julho. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou taxa de 0,56% em agosto, ante 1,24% no mês anterior.

“Se não fosse a crise hídrica, o IGP-M apresentaria desaceleração mais forte. No IPA, culturas afetadas pela estiagem, como milho (-4,58% para 10,97%) e café (0,04% para 20,98%) registraram forte avanço em seus preços. No âmbito do consumidor, o preço da energia, para a qual é esperado novo reajuste em setembro, registrou alta de 3,26%, sendo a principal influência para a inflação ao consumidor”, disse o pesquisador da FGV André Braz.

IGP-M e o aluguel

O reajuste do aluguel em 2021 causou preocupação a milhares de inquilinos que precisam renegociar seus contratos de moradia, já que seguindo o índice comumente estipulado em contrato, o IGP-M, os valores mensais poderiam ter um aumento de 31,12%, caso o aniversário do contrato fosse em agosto.

Uma negociação possível, visto à maior alta do índice desde 2002, foi a troca pelo IPCA, que em agosto registrou 8,99% ao ano, facilitando que os contratos sejam renovados em meio a contínua crise econômica causada pela pandemia.

O IGP-M e o IPCA têm grande papel na economia brasileira e influenciam diretamente no bolso do consumidor, conforme o Portal Contábeis relatou aqui. Para entender mais sobre a diferença entre os índices, basta clicar aqui.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/igp-m-acumula-inflacao-de-3112-em-12-meses/feed/ 0
Pix: Banco Central limita transações à R$ 1 mil para evitar golpes https://www.granados.com.br/pix-banco-central-limita-transacoes-a-r-1-mil-para-evitar-golpes/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=pix-banco-central-limita-transacoes-a-r-1-mil-para-evitar-golpes https://www.granados.com.br/pix-banco-central-limita-transacoes-a-r-1-mil-para-evitar-golpes/#respond Tue, 31 Aug 2021 15:37:48 +0000 https://www.granados.com.br/?p=208741 O Banco Central anunciou na última sexta-feira (27) novas medidas de segurança para evitar golpes e fraudes com o Pix, ferramenta de pagamentos instantâneos.

O Pix passará a ter um limite de valor total transacionado de R$ 1 mil no período noturno, entre 20h e 6h para pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEIs). Isso vale para transferências entre contas do mesmo banco, cartões de débito e liquidação de TEDs.

De acordo com o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, o limite não deve prejudicar os usuários porque nesse horário a grande maioria das transações é de valor bem menor ao limite estabelecido.

“Ao impor R$ 1 mil, nós protegemos o patrimônio dos usuários, desincentivamos os criminosos e não prejudicamos a usabilidade do Pix para a enorme maioria das pessoas”.

Se o cliente desejar um limite maior, ele poderá fazer esse pedido de alteração, explica o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello.

Além disso, os bancos e outras instituições financeiras agora terão prazo mínimo de 24 horas e máximo de 48 horas para efetivar um pedido do usuário para aumento do limite de transações por Pix, boleto, TEDs e DOCs e cartão de débito.

A ideia é impedir a possibilidade do aumento imediato e diminuir as situações de risco.

As medidas devem se tornar efetivas em algumas semanas porque as instituições financeiras precisam se adaptar, de acordo com o BC.

Fraudes

O BC ressaltou que o problema de fraudes, golpes e crimes envolvendo meios de pagamentos não são exclusivos do Pix – incluem também TED, DOC, cartão de débito e até boletos.

De acordo com os dados compartilhados pelo BC, entre 16 novembro de 2020 e 20 de agosto de 2021 foram registradas uma suspeita de fraude a cada 100 mil transações.

“Isso é equivalente a 38 mil suspeitas em um total de 3,8 bilhões de transações considerando todo o país”, disse Mello.

Entre novembro 16 de 2020 e 31 de março deste ano, o número era de duas transações suspeitas para cada 100 mil.

Fonte: Portal Contábeis

]]>
https://www.granados.com.br/pix-banco-central-limita-transacoes-a-r-1-mil-para-evitar-golpes/feed/ 0